Mediterranee comme frontiere : ordre symbolique, materialisation des corps et immigration

Caterina Rea

Resumo


Quais são as dinâmicas sociais, políticas e psicológicas que caracterizam as relações Norte-Sul, entre Oriente-Ocidente? Este texto analisa a realidade do Mediterrâneo como espaço histórico-cultural onde estas dinâmicas operam segundo eixos diferentes. O Mediterrâneo é uma fronteira aberta, um cruzamento de culturas, mas também – como mostram os estudos pós-coloniais – um lugar de separação atravessado por lógicas de dominação e de poder. As categorias política-filosóficas de desnaturalização e instituição se revelam aqui como operadores fundamentais de uma leitura crítica do espaço mediterrâneo, particularmente do exemplo pós-colonial francês.

Palavras-chave


Corpo; Desnaturalização; Instituição; Poder; (Pós) Colonização

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2238-152X.31526

logogoogle
Scientific Electronic Library Online     

           

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

ISSN eletrônico: 2238-152X