Fácies e paleoambientes em uma sucessão estratigráfica da porção central do Complexo Deltaico do Rio Paraíba do Sul (RJ, Brasil)

Josiane Branco PLANTZ, Thiago Gonçalves CARELLI, Leonardo BORGHI, Marcelo De Araújo CARVALHO, Renato Rodriguez Cabral RAMOS

Resumo


O Complexo Deltaico do Rio Paraíba do Sul (CDRPS), localizado no litoral norte do Estado do Rio de Janeiro, é uma importante planície costeira de idade quaternária que engloba parte da porção emersa da Bacia de Campos. Embora seja alvo de estudos sedimentológicos e estratigráficos desde a década de 1940, os estudos envolvendo amostragens de subsuperfície contínuas e de alcance profundo são recentes e pouco numerosos. Com base nisto, o presente trabalho busca contribuir através de informações litológicas, faciológicas e paleoambientais advindas da testemunhagem contínua do poço 2-TO-1-RJ (181 m) e subsidiar discussões acerca da evolução do CDRPS. Análises de difração de raios-X (DRX) em argilominerais, carbono orgânico total (COT) e palinofácies foram realizadas para a caracterização dos paleoambientes deposicionais. Datações por radiocarbono foram importantes para a correlação com os modelos evolutivos existentes. Com o apoio de descrições petrográficas, foram identificadas 12 fácies sedimentares, dentre as quais uma rudítica (Ccm), cinco areníticas (ACm, Am, Amf, Ae e ALm), uma heterolítica (IF), duas híbridas (Ab e Lh) e três lutíticas (Lm, Ll e LAm), agrupadas em sete sucessões de fácies (SF-LA, SF-F1, SF-Dc, SF-M, SF-F2, SF-Lg e SF-F3), indicativas de diferentes estágios de sedimentação. Os resultados apontam para uma sedimentação basal típica de porções medianas a distais de leques aluviais sucedida por deposição em ambiente fluvial, ambos atribuídos ao Membro São Tomé (Formação Emborê). Estes depósitos foram parcialmente erodidos pela escavação de um vale inciso, preenchido por depósitos transgressivos estuarinos e marinhos, de idade pleistocênica (mais antigos que 40.000 anos AP). O registro holocênico é restrito aos primeiros 13,40 m do testemunho e sugere a instalação de uma paleolaguna, posteriormente colmatada por um sistema fluvial.


Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.22456/1807-9806.95464

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Prédio 43113
91.540-000, Porto Alegre, RS, Brasil
E-mail: pesqgeoc@ufrgs.br