Arquitetura estratigráfica dos depósitos fluviais albianos da base da Formação São Mateus no norte da Bacia do Espírito Santo

Renata S. ALVARENGA, Claiton M. S. SCHERER, Juliano KUCHLE, Luis F. DE ROS

Resumo


Os depósitos aluviais da Formação São Mateus (Albiano da Bacia do Espírito Santo, Brasil) consistem em importantes reservatórios. Entretanto, existem poucos trabalhos detalhando a estratigrafia deste intervalo estratigráfico. Em decorrência disso, este trabalho teve por objetivo estabelecer um fatiamento estratigráfico de alta resolução da seção basal desta unidade, a qual é constituída por depósitos fluviais. Diante das dificuldades apresentadas para a correlação estratigráfica desses depósitos, a estratégia de correlação utilizada foi a subdivisão da sucessão aluvial em ciclos estratigráficos. Este método se baseia na variação na razão entre as taxas de criação de acomodação e suprimento sedimentar (A:S) que diretamente controla o grau de amalgamação dos corpos arenosos de canais fluviais. Com isso, foram definidos seis ciclos compostos internamente por tratos de sistemas de alta e baixa acomodação. Esses ciclos refletem a  estruturação do arranjo da amalgamação dos canais fluviais com os depósitos externos aos canais através da razão entre a taxa de acomodação (A) e a taxa de influxo sedimentar (S) formando ciclos.

Palavras-chave


Bacia do Espírito Santo, fluvial, Ciclos A:S

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.22456/1807-9806.93242

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Prédio 43113
91.540-000, Porto Alegre, RS, Brasil
E-mail: pesqgeoc@ufrgs.br