Geocronologia com 210Pb na avaliação das taxas de sedimentação e da dinâmica deposicional na Lagoa Itapeva, sul do Brasil

Michel D. IVANOFF, Elírio E. TOLDO Jr., Rubens C. L. FIGUEIRA, Paulo A. L. FERREIRA

Resumo


Lagoas costeiras são ambientes potencialmente ameaçados pelo aumento recente das taxas de sedimentação e elevação relativa do nível do mar. Neste trabalho foram analisadas as condições de preenchimento sedimentar da Lagoa Itapeva utilizando o método geocronológico 210Pb, a partir dos valores da atividade do 210Pb e 226Ra obtidos de três testemunhos geológicos. As taxas de sedimentação medidas no testemunho C3 indicam forte influência da drenagem do Rio Três Forquilhas, com valores na ordem de 3,2 mm.a-1. Os pontos de coleta no centro C2 e norte C1 apresentaram valores sensivelmente menores, 2,4 e 2,9 mm.a-1, respectivamente. Tais valores mostram-se inferiores as taxas de elevação relativa do nível do mar, indicando um cenário transicional entre a estabilização e o déficit sedimentar no processo de preenchimento lacustre. A análise granulométrica nos testemunhos indica a presença de significativa energia hidrodinâmica no processo de sedimentação. A fração silte é a classe dominante, com variação entre o tamanho médio a grosso em todas as amostras, seguida pela ocorrência da fração areia em relação à argila que apresentou baixa concentração, não ultrapassando 9%. Entretanto, foi verificado no testemunho C3 um aumento do teor de lamas nas últimas décadas, o que sugere modificações na bacia de drenagem do Rio Três Forquilhas pelo aumento na produção de sedimentos. A urbanização e a introdução da agricultura no último século são as principais variáveis que explicam este comportamento.

Palavras-chave


taxa de sedimentação, geocronologia, sedimentação lacustre, elevação do nível relativo do mar.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1807-9806.83271

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Prédio 43113
91.540-000, Porto Alegre, RS, Brasil
E-mail: pesqgeoc@ufrgs.br