Análise da relação entre o δ18O do Nevado Illimani com a distribuição espacial da precipitação sobre a América do Sul

Éder L. B. MAIER, Sandra BARREIRA, Jefferson C. SIMÕES

Resumo


Esse artigo analisa as relações entre a série temporal da razão isotópica do oxigênio dezoito (δ18O) mensurada no testemunho de gelo do Nevado Illimani (Bolívia; 16°37’S, 67°46’W) com a distribuição espacial da precipitação na América do Sul. Foram utilizados dados dos primeiros 50 m do testemunho de gelo e 360 campos espaciais da precipitação observada no continente entre 4°N e 40°S. Os campos de precipitação foram agrupados por meio da Análise das Componentes Principais no Modo-T e a ocorrência temporal de cada grupo (Padrão Espacial Anômalo - PEA) foi identificada quando o índice de correlação entre a componente principal e os campos observados é superior a |0,4|. Constatou-se que há 12 PEA da precipitação e que são originários, predominantemente, da variação na temperatura superficial dos oceanos Pacífico Equatorial e Atlântico Tropical Norte. A análise da ocorrência temporal desses PEA com a série temporal do δ18O evidenciou que os registros de máximo (mínimo) fracionamento isotópico no verão, estão relacionados à seca (chuvas acima da média) na Amazônia ou no nordeste brasileiro. Já no inverno, os registros de máximo (mínimo) fracionamento isotópico estão relacionados à secas (chuvas acima da média no litoral) na região tropical e chuvas acima da média (secas) na região extratropical.


Palavras-chave


glaciais tropicais, reconstrução paleoclimática, análise das componentes principais.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1807-9806.78187

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Prédio 43113
91.540-000, Porto Alegre, RS, Brasil
E-mail: pesqgeoc@ufrgs.br