Utilização do Modelo Orientado à Representação do Pensamento Humano (MORPH) no estabelecimento do Índice de Sensibilidade Fluvial (ISF): uma proposta de contribuição à Classificação da Sensibilidade Ambiental ao Óleo

Daiana M. COSTA, Paulina S. RIEDEL, Cenira M. L. CUNHA, Antonio C. ZAMBON

Resumo


Este trabalho apresenta a utilização do MORPH (Modelo Orientado à Representação do Pensamento Humano), como uma ferramenta de análise para apoio à criação de um sistema de classificação que visa determinar a sensibilidade ambiental ao óleo de ambientes fluviais, baseado nos principais sistemas de classificação do National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA) e da Petrobras S.A. para ambientes fluviais. Essa proposição se deve em razão da recorrência de acidentes envolvendo derramamentos de óleo em áreas continentais, com danos aos cursos fluviais, e à lacuna gerada pela ausência de um sistema de classificação abrangente, que atenda aos mais diversos tipos de ambientes fluviais, pois grande parte dos estudos de sensibilidade está voltada aos ambientes costeiros. O MORPH auxiliou na comparação de muitas variáveis interdependentes, identificando parâmetros físicos fundamentais para estabelecer os ambientes fluviais que fazem parte o Índice de Sensibilidade Fluvial (ISF), incluindo: margens rochosas, estruturas artificiais, praias, bancos de substrato lamoso, barras de meandro, diques naturais, margens vegetadas e planícies de inundação associadas a vegetação. O ISF relaciona as características físicas que influenciam diretamente na persistência natural, na dispersão e nas condições de limpeza e/ ou remoção do óleo, com reflexo direto no grau de impacto.


Palavras-chave


sensibilidade fluvial ao óleo, mapeamento de sensibilidade ambiental ao óleo, cartas SAO, geomorfologia fluvial.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1807-9806.78106

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Prédio 43113
91.540-000, Porto Alegre, RS, Brasil
E-mail: pesqgeoc@ufrgs.br