Proveniência de metassedimentos das sequências Arroio Areião, Cerro Cambará e Quartzo Milonitos no Complexo Metamórfico Porongos, Santana da Boa Vista, RS

Leonardo GRUBER, Carla C. PORCHER, Cristine LENZ, Luis A. D. FERNANDES

Resumo


Estudos de proveniência em grãos de zircão detríticos através do método U-Th-Pb (LA-ICPMS) dos metassedimentos do Complexo Metamórfico Porongos determinaram a existência de duas áreas-fontes principais de idades paleoproterozóicas e mesoproterozóicas para os protólitos dos xistos Arroio Areião, Cerro Cambará e quartzo milonitos associados. Foram obtidas idades entre 1041 ± 46 Mae 2414 ± 31 Ma para a sequência Arroio Areião, entre 1010 ± 17 Ma e 2652 ± 32 Ma para a sequência Cerro Cambará, e idades entre 1619 ± 39 Ma e 2910 ± 24 Ma para os quartzo milonitos associados. A idade máxima de deposição das sequências Arroio Areião e Cerro cambará é neoproterozóica, enquanto os quartzo milonitos possuem idade máxima de deposição mesoproterozóica. A origem dos grãos de idade paleoproterozóica pode ser correlacionada às rochas do Complexo Encantadas, que faz parte do embasamento das unidades supracrustrais, além de rochas do embasamento do cráton Kalahari. Entretanto, áreas-fontes de idade mesoproterozóica (entre 1041 e 1619 Ma) não foram ainda reconhecidas no Cinturão Dom Feliciano. Estes grãos de zircão podem ser derivados de associações de rocha pertencentes aos terrenos mesoproterozóicos (tipicamente associados com as orogêneses Elzeverian e Greenville) associados ao sistema geodinâmico que inclui os crátons Amazonas, Kalahari, Congo – São Francisco e Laurencia e cinturões associados. Este trabalho demonstra que do ponto de vista isotópico e estratigráfico, não existem diferenças significativas de idades detríticas entre as sequências metassedimentares que afloram nos flancos da Antiforme de Santana da Boa Vista.

Palavras-chave


Complexo Metamórfico Porongos; idades U-Pb em zircão; proveniência

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.22456/1807-9806.35157

Apontamentos

  • Não há apontamentos.







Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Prédio 43113
91.540-000, Porto Alegre, RS, Brasil
E-mail: pesqgeoc@ufrgs.br