Geology of the Coastal Province of Rio Grande do Sul, Southern Brazil. A Synthesis.

JORGE ALBERTO VILLWOCK

Resumo


A Província Costeira do Rio Grande do Sul é constituída por dois grandes domínios geológicos distintos, o Embasamento e a Bacia de Pelotas. O primeiro, uma plataforma composta pelo complexo cristalino pré-cambriano e pelas sequências sedimentares e vulcânicas, paleozoicas e mesozoicas, da Bacia do Paraná, submetido a sucessivos basculamentos resultante da tectônica que acompanhou a abertura do Atlântico Sul, durante o Cretáceo deu origem ao segundo, uma bacia marginal aberta. Desde então, a Bacia de Pelotas passou a receber a carga clástica derivada da dissecação das terras altas adjacentes. Sucessivas transgressões, controladas no princípio pela tectônica e a partir do Terciário pelas variações globais de nível do mar, proporcionaram a acumulação de uma sequência clástica (cascalhos, areias e lamas) com mais de 5.000 metros de espessura, onde são muito raras as camadas carbonáticas e estão ausentes as evaporíticas tão características das demais bacias da margem continental brasileira. Mapeamento geológico e geomorfológico da porção superior desta sequência que se expõe na Planície do Rio Grande do Sul e que configuram a superfície desta região, mostram que ela é constituída por um conjunto de fácies sedimentares, descontínuas no espaço e no tempo resultantes do deslocamento de diversos ambientes de sedimentação (continentais, transicionais e marinhos) por sobre a mesma região. Além da caracterização sedimentológica de depósitos marinhos rasos, praiais, eólicos, lagunares, paludais, deltáticos, fluviais e de leques aluviais, os estudos evidenciaram acumulações importantes de areias negras (titânio e zircônio), areias para construção civil e indústria do vidro, argilas para cerâmica, diatomitos, concheiros e grandes turfeiras. A exploração destes recursos minerais, efetuadas dentro de um programa adequado de manejo costeiro, só não ocasionará danos ecológicos se este gigantesco e complexo ecossistema costeiro, vulnerável pela sua própria natureza, for perfeitamente conhecido.



Palavras-chave


geology; coastal province; Rio Grande do Sul; southern Brazil

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.22456/1807-9806.21711

Apontamentos

  • Não há apontamentos.







Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Prédio 43113
91.540-000, Porto Alegre, RS, Brasil
E-mail: pesqgeoc@ufrgs.br