Foraminíferos da perfuração 2-GAst-1A-RS. Bacia de Pelotas

MARLY MADEIRA FALCETTA, ZOAH VALLADÃO THIESEN

Resumo


Foraminíferos contidos na perfuração 2GAST-1A-RS, situada a oeste da Laguna dos Patos, permitiram caracterizar uma sequência transgressiva/regressiva e a visualização bioestratigráfica do poço. O pacote sedimentar abrange depósitos Quaternários e Terciários. O Mioceno Médio é correlacionável aos andares Langhiano e Tortoniano Inferior e às zonas bioestratigráficas N12 a N15, pela presença de Globorotalia foshi lobata Blow (N12/N13), G. miozea miozea Finlay (N7/N16) e Globigerina druryi Akers (N11/N14). Sedimentos do Mioceno Superior contendo Globigerina falconensis Blow (N7/N16), G. praebulloides Blow (P6/N17), G. bulloides d’Orbigny (N16/N23), Globorotalia acostaensis Blow (N16/N21), G. merotumida Blow e Banner (N16/N18), e G. continuosa Blow (N6/N16), são correlacionáveis aos andares Tortoniano Médio e Superior e Messiniano e às zonas bioestratigráficas N16 a N17. Aos sedimentos basais, de origem continental, sucedem-se níveis depositados em ambiente de plataforma interna. As unidades seguintes atribuídas ao Mioceno Médio e Mioceno Superior, representam ambiente de plataforma média. O recuo do mar dá origem a nova deposição de plataforma interna (Mioceno Superior; Plioceno; Pleistoceno). O Quaternário é representado por depósitos pleistocênicos.



Palavras-chave


foraminíferos; perfuração 2-GAst-1A-RS; Bacia de Pelotas

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.22456/1807-9806.21465

Apontamentos

  • Não há apontamentos.







Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Prédio 43113
91.540-000, Porto Alegre, RS, Brasil
E-mail: pesqgeoc@ufrgs.br