Sedimentação do Canal de Vitória Estado do Espírito Santo - Brasil

IRAN CARLOS STALLIVIERE CORRÊA, ANDREIA REGINA DIAS ELIAS, RODRIGO MARTINS, JOÃO MARCELO KETZER

Resumo


Os processos sedimentares que atuam no interior do Canal de Vitória, Estado do Espírito Santo, são dominados por uma baixa a moderada energia de transporte em um meio de baixa fluidez. A morfologia de fundo do canal se apresenta suavizada com regiões de baixios nas áreas marginais. Sua profundidade média é de 13 metros podendo chegar aos 20 metros em seu ponto mais profundo. Os sedimentos holocênicos que recobrem o fundo do canal são predominantemente arenosos com grau de seleção moderado. Os sedimentos lamosos se distribuem em áreas confinadas, especialmente nas proximidades das desembocaduras dos rios, e se apresentam de pobremente a muito pobremente selecionados. O diagrama CM caracteriza os depósitos sedimentares como de suspensão gradacional e de suspensão uniforme. A análise da fração grossa indicou a presença de foraminíferos da subordem Mioliolina os quais caracterizam ambientes transicionais de águas com maior influência marinha.



Palavras-chave


sedimentação; canal de Vitória; Espírito Santo; Brasil

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.22456/1807-9806.21268

Apontamentos

  • Não há apontamentos.







Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Prédio 43113
91.540-000, Porto Alegre, RS, Brasil
E-mail: pesqgeoc@ufrgs.br