Compartimentação fisiográfica do município de Peruíbe, litoral de São Paulo - uma abordagem metodológica como subsídio à avaliação geotécnica de terrenos

Daniel CARDOSO, Paulina S. RIEDEL, Maria J. BROLLO, Ricardo VEDOVELLO, Lídia K. TOMINAGA

Resumo


Este artigo apresenta o método empregado no município litorâneo de Peruíbe, composto pela aplicação de técnicas de interpretação de produtos de sensoriamento e levantamentos de campo para a individualização de unidades básicas de análise do terreno, denominadas de Unidades Básicas de Compartimentação (UBCs). Estas unidades expressam a menor superfície do terreno interpretada a partir dos seus elementos fisiográficos, e que possuem no seu interior as mesmas propriedades geotécnicas. São unidades facilmente agrupáveis e funcionam como objetos de armazenamento de informações, que podem subsidiar os zoneamentos geotécnicos, facilitando a análise das potencialidades e fragilidades do meio físico e de sua suscetibilidade a processos naturais e antrópicos. Foram individualizadas sessenta e oito unidades dentro das quais foram inferidas propriedades de interesse geotécnico a partir de critérios fotointerpretativos, levando em consideração as propriedades texturais da imagem, calibradas por observações de campo. O método mostrou-se facilmente reprodutível, sendo especialmente interessante para regiões com carência de mapas básicos, o que impossibilita o estabelecimento de zonas homogêneas através do tradicional cruzamento de informações de diferentes temas.

Palavras-chave


compartimentação fisiográfica; planejamento territorial; sensoriamento remoto; caracterização geotécnica;avaliação de terrenos

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.22456/1807-9806.17837

Apontamentos

  • Não há apontamentos.







Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Prédio 43113
91.540-000, Porto Alegre, RS, Brasil
E-mail: pesqgeoc@ufrgs.br