De Coetze a Ferréz: lições de humanismo e realismo

Rejane Pivetta de Oliveira

Resumo


O artigo discute os conceitos de realismo e humanismo desenvolvidos literariamente na obra de J. M. Coetzee Elizabeth Costello (2004), cujas problematizações revelam-se produtivas para uma leitura dos contos de Ninguém é inocente em São Paulo (2006), de Ferréz. , autor representante da chamada literatura periférica.

Palavras-chave


Humanismo; Realismo; Coetzee; Ferréz.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.9759

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul