A VIOLÊNCIA GENERIFICADA NA LITERATURA BRUTALISTA

Nelson Eliezer Ferreira Júnior

Resumo


Pretende-se aqui uma retomada da noção de literatura brutalista – proposta por Alfredo Bosi em 1975 e desde então amplamente utilizada pela crítica para dar conta de uma das manifestações da prosa brasileira contemporânea – para chamar atenção a uma questão de gênero (masculinidade) presente na constituição de violência desta vertente literária, mas ainda não explicitada pela crítica.

Palavras-chave


Brutalismo; Violência; Masculinidade; Literatura brasileira

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.77719

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul