A Política Exilatória do Estado Português e o Sujeito Confinado em Lobo Antunes

Daniel Conte, Josiani Job Ribeiro, Marinês Andrea Kunz

Resumo


Este texto analisa o projeto exilatório do Estado salazarista, pós-1961, e a significação da cidade de Lisboa para o narrador-personagem da obra Os Cus de Judas, de António Lobo Antunes. As imagens trazidas pelo personagem quando retorna à metrópole, no pós-guerra, levam-no a viver um trauma existencial que o encarcera no espaço urbano da ex-metrópole. Além disso, busca-se evidenciar historicamnte o processo de gestação de um sujeito em confinamento imagético, traumatizado pela política de Estado e pelo deslocamento que oferece a condição de exilado.

Palavras-chave


Colonialismo; Exílio; Confinamento Íntimo; Representação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.76043

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul