Seleção e Ideologia em Um passeio pela cidade do Rio de Janeiro

Milton Colonetti

Resumo


Macedo, em seu Um passeio pela cidade do Rio de Janeiro, procura levantar o véu ideológico estendido sobre a capital do Império, numa tentativa de restabelecer as coordenadas heurísticas de uma Identidade Nacional que pairava indeterminada no imaginário da época. Para tanto, se vale de sua posição-sujeito privilegiada como articulador da ‘cidade letrada’ (RAMA, 1984) e entretece, em suas projeções ideais do imaginário, ficcionalizações dos discursos-fonte oriundos da ‘cidade real’. Neste jogo de sobredeterminação, o espaço urbano e seus marcos arquitetônicos servem de mapa e signo para o traçado de uma nova hermenêutica da realidade social, republicana e progressista. A partir deste panorama, procuro investigar as estratégias representacionais de Macedo, de acordo com as categorias de ‘seleção’ (ISER, 1996), ‘ideologia’ (EAGLETON, 1997) e o binômio ‘cidade letrada’ e ‘cidade real’ (RAMA, 1984).

Palavras-chave: república; ideologia; ficção; Brasil; crítica

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.6943

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul