Um romance para Riobaldo ou os romances do Brasil

Vera Haas

Resumo


A idéia de agon e de diálogo entre obras da literatura brasileira deve orientar a interpretação de nossa historiografia no que se refere à produção de escritores como Alencar, Guimarães Rosa e Machado de Assis. A mudança de perspectiva no que se refere à aceitação de um sistema literário forjado pela semelhança entre autores demonstra que a predileção autoral e crítica por romances regionalistas, freqüentes na história da literatura brasileira, só pode ser efetuada por meio de uma perspectiva pós-moderna. A compreensão da história da literatura brasileira passa pelo deciframento de um sistema forjado pela dessemelhança.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.6247

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul