A memória de Miramar: decompondo e recompondo a memória ficcional

Natália Ubirajara Silva

Resumo


o presente artigo reflete sobre as Memórias Sentimentais de João Miramar, de Oswald de Andrade, procurando compreender em que medida essa obra se aproxima do paradigma da memória ficcional (as Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis) para recriá-lo e subvertê-lo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.6139

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul