A identidade trágica do jaguaretê

Marcos Hidemi Lima

Resumo


O presente artigo pretende apresentar uma pequena análise do conto “Meu tio o iauaretê” (Guimarães Rosa), mostrando algumas marcas da tragédia grega na sua construção, sobretudo no que tange à representação do ‘outro’, tal como ocorre com o Dionísio, o estrangeiro lídio de As bacantes (Eurípedes). No papel desse ‘outro’, o personagem central vive uma crise de identidade: como branco, acaba incorrendo contra os valores da religião judaico-cristã; como índio, endossa alguns valores do mundo branco e, como animal, entra em confronto com a sua natureza humana.

Palavras-chave: Guimarães Rosa; trágico; alteridade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.5834

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul