Contadores de histórias em A República dos Sonhos e em Vozes do Deserto, de Nélida Piñon

Lucia Regina Lucas Rosa

Resumo


O presente artigo visa evidenciar as marcas de oralidade e atuação de contadores de histórias nos romances A República dos Sonhos e Vozes do Deserto, de Nélida Piñon. Ambas obras literárias priorizam a narrativa do ponto de vista da influência de um narrador-contador que, com isso, domina a vida das demais personagens. Mesmo publicados em épocas diferentes, os romances dão conta da discussão de perpetuação de clãs familiares e de costumes de determinados grupos sociais por meio de histórias criadas e outras lembradas.

Palavras-chave: histórias; encanto; sonho; morte.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.5812

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul