Uma forma breve esquecida: a praga da tradição oral portuguesa

Carlos Nogueira

Resumo


Máximo de emoção e significado num mínimo de palavras, forma breve que é o sinal de um espaço interior sem fim e de uma necessidade urgente de voz, a praga dá-se como um curto-circuito do pensamento de um sujeito que pratica uma alquimia de palavras para agir sobre o real (que é muitas vezes – e o enunciador sabe disso, consciente ou inconscientemente – o seu próprio mundo visceral).

Palavras-chave: Praga, oralidade, tradição.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.5809

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul