“O problema é se eu morro”: fazendo “a voz da experiência” ser ouvida antes do próximo descarte - análise de O Senhor Henri e O Senhor Valéry, de Gonçalo Tavares

Ariadne Leal

Resumo


Este ensaio tem por objetivo analisar as obras O Senhor Henri e O Senhor Valéry, do escritor português Gonçalo M. Tavares, através da perspectiva de teorias sobre a oralidade. Podem ser encontradas formas de performance urbana, encarnadas pelos personagens principais, que conseguem escapar, de certa forma, a processos de exclusão como os descritos por Foucault, bem como à chamada “cultura do lixo”, definida por Zygmunt Bauman.

Palavras-chave: Gonçalo M. Tavares; oralidade; performance; exclusão.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.5807

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul