Da escrita do eu à demanda melancólica: uma leitura de Bernardo Soares e Álvaro de Campos

Girvani José Sulzbacher Seitel

Resumo


O artigo tem por objetivo realizar uma leitura de textos de Fernando Pessoa, através de duas personalidades poéticas criadas pelo engenho pessoano: o semi-heterônimo Bernardo Soares e o heterônimo Álvaro de Campos. A análise dos textos destes escritores/heterônimos busca detectar elementos que traduzem o estado melancólico do sujeito/escritor face à modernidade. Para verificar a demanda da melancolia na escritura destes “eus” pessoanos, usa-se os conceitos de Julia Kristeva, pois a autora vê na melancolia um caráter produtivo, em que o artista, tomado por uma tristeza primordial, fica mais propenso à criação artística.

Palavras-chave


Pessoa/heteronímia. Escrita/melancolia. Bernardo Soares/Álvaro de Campos

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.55197

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul