Augusto Frederico Schmidt e sua poética da morte

Juliana Santos

Resumo


Nesse ano de 2006, em que se comemora o centenário do nascimento de Augusto Frederico Schmidt, poeta que inaugura a segunda geração da poesia moderna, torna-se fundamental o resgate de sua produção lírica, bastante esquecida pela crítica brasileira nos últimos anos. Este trabalho é fruto de pesquisa realizada em 2004 junto ao projeto “A poesia metafísica no Brasil: percursos e modulações”, coordenado pela Profa. Dra. Ana Maria Lisboa de Mello e com o apoio do CNPq. O estudo foi desenvolvido a partir do levantamento e da leitura da obra e da fortuna crítica do poeta e tendo como base os fundamentos teóricos sobre a lírica, a metafísica e o imaginário. O ensaio apresenta as principais características da produção poética de Schmidt, como o teor metafísico e a influência dos poetas católicos franceses, focalizando sobretudo o tema da morte, fundamental em sua composição poética.

Palavras-chave: Augusto Frederico Schmidt; lírica moderna; metafísica.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.5081

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul