O olhar multifacetado dos Laços de família, de Clarice Lispector

Adriana Carina Alvarez

Resumo


A questão do olhar ocupa, no universo de Clarice Lispector, um lugar de indiscutível destaque, pois, através dele, a autora ensaia, em toda a sua obra, o deflagrar de uma realidade que subjaz à nossa percepção habitual das coisas. Trata-se de um olhar, em princípio, de dupla direção: da personagem para o mundo e deste, a modo de espelho, para o interior da personagem, passando por seu corpo. Ao encontrar o leitor, porém, esse olhar atinge um alcance ilimitado. Instância intermediária entre o indivíduo e o mundo exterior, o olhar serve, nos contos de Laços de família, como ponte entre a história mais superficial e a verdadeira história que está sendo narrada, a da batalha existencial da personagem. Assim, ele transforma-se em um dos principais recursos expressivos de uma linguagem que, como poucas, procura acompanhar os meandros da alma humana.

Palavras-chave: conto; intimismo; olhar; fenomenologia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.4885

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul