Contra Clarissa: cultura e desigualdade no primeiro romance de Erico Verissimo

Atílio Bergamini Júnior

Resumo


Procuro neste ensaio argumentar que a desigualdade é um dos “agentes estruturais” (conforme formulação de Antonio Candido) de Clarissa, romance publicado em 1933 por Erico Verissimo. Para compor as reconhecidas atitudes de boa menina ? curiosa, solidária e preocupada com as injustiças sociais ? o romance apresenta sua personagem principal também com um forte racismo e um preconceito latente a respeito de si própria. Nesse sentido, a estrutura do romance focaliza tensionamentos, mas atenua as contradições das cenas, o que ajuda a constituir, por fim, o efeito lírico pela qual Clarissa se notabilizou.

Palavras-chave: Erico Verissimo, Porto Alegre, anos 1930, desigualdade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.4882

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul