A paixão e seus produtos: uma consciência retrospectiva nos romances de Almeida Faria

Lígia Savio

Resumo


A busca de uma identidade nacional, traço constante da literatura portuguesa, tem no escritor Almeida Faria um de seus expoentes. Seu romance A paixão (1965) adquire um novo estatuto com a Revolução dos Cravos, em 1974, pois passa a fazer parte, com os três que se seguem (Cortes, 1978; Lusitânia, 1980 e Cavaleiro andante,1983) da Tetralogia Lusitana. A História entra na ficção e esta se alimenta dela.

Palavras-chave: identidade; Revolução dos Cravos; tetralogia lusitana; história; ficção.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.4845

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul