A resistência poética de Ferreira Gullar

Cimara Valim de Melo

Resumo


O enfoque deste artigo dirige-se à análise de produções poéticas de Ferreira Gullar, publicadas nas décadas em que perdurou o regime ditatorial no Brasil. A resistência desse múltiplo escritor à fragmentação do mundo existente ao seu redor, principalmente nas décadas de 1960 e 1970, dá-se não apenas através de seu viver revolucionário, ferrenhamente crítico, mas principalmente por meio de sua produção poética recheada de ousadia, perigo e liberdade, com a publicação dos livros Dentro da noite veloz (1975), Poema Sujo (1976) e Na vertigem do dia (1980). Testemunha de uma realidade contraditória e injusta, Gullar recriou em seus versos a lucidez e a revolta frente a um tempo vazio de sentido. Ultrapassou as fronteiras literárias, semeando a esperança em momentos de perseguição política e de crises sociais.

Palavras-chave: Poesia Brasileira do século XX; Ferreira Gullar; Ditadura militar.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.4829

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul