Caleidoscópio estético: o nacional-popular e a antropofagia tropicalista

Andréia Scheeren

Resumo


No início dos anos 60, a canção liga-se ao campo político, pois se envolve com idéias socialistas, defendendo os interesses dos desvalidos e esquecidos pelo governo desenvolvimentista. Após 1964, transforma-se em um veículo de combate à ditadura e estabelece, nas letras, as características da brasilidade. Em 1967, suas estruturas são abaladas pelo Tropicalismo que rompe com a idéia-função de Música Popular Brasileira então vigente. Neste ensaio, mostraremos a relevância da discussão dos estudos da canção popular no âmbito da literatura brasileira, e abordaremos características da representação da nação em um movimento musical, político e cultural, como foi o Tropicalismo. A partir da análise de algumas letras do disco Tropicália ou Panis et Circencis, mostraremos como o Tropicalismo realizou um corte crítico no discurso nacional-popular de sua época.

Palavras-chave: tropicalismo; discurso nacional-popular; canção.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.4826

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul