A Ruína em Fim de partida: Samuel Beckett e Tatiana Blass

Viviane Baschirotto

Resumo


Este artigo propõe-se a pensar as relações que permeiam a peça de Samuel Beckett, escrita em 1957 e a encenação da peça nas artes visuais pela artista Tatiana Blass em 2011 no Centro Cultural Banco do Brasil no Rio de Janeiro. O universo que permeia a peça de Beckett e que Tatiana Blass representa é o fim da vida de seus personagens. O fim da vida pode ser traduzido também como a morte, aquilo que é inelutável ao homem, sua ruína.

Palavras-chave


Fim de Partida; Tatiana Blass; Samuel Beckett; Ruína

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.46904

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul