A ORALIDADE E SEUS ATUAIS CONTORNOS: PERFORMANCES E RECEPÇÕES DO CORPO NAS REDES SOCIAIS

Taíse Alves Moreira, Comissão Editorial Nau Literária

Resumo


O presente artigo visa apresentar para a comunidade acadêmica como se desdobraria o processo de valorização simbólica nas redes sociais, devido à troca do contato físico pelo contato virtual, mesmo que o resultado de certas práticas (como o compartilhamento de conteúdo poético) resulte em sensações semelhantes a aquelas percebidas presencialmente. Observa-se o surgimento e a propagação das comunidades virtuais que apresentam uma proposta de aproximação de pessoas geograficamente separadas, mas que excluiria, em um primeiro momento, a prática de costumes orais. Embora proporcionem tais sensações, o ato da oralidade é adaptado nesse meio pelo processo da escrita. O questionamento é aberto quando se indaga sobre como se processariam as performances e recepções do corpo emanadas pela propagação da voz no contato presencial nesse mundo virtualizado que estaria provocando o isolamento das pessoas, inclusive daqueles participantes de grandes comunidades, que compartilham gostos, pensamentos e ideologias análogas. Assim, contarei com os seguintes objetivos específicos nesse processo inicial de investigação na pós-crítica: iniciar por uma leitura antropológica e/ou sociológica sobre cultura e estudos que trabalham sobre a valorização simbólica dos objetos, para situar a nova possibilidade de formatação social que envolve a coletividade denominada de comunidades virtuais. E na sequência, como a utilização desse dispositivo influenciaria sobre as performances e recepções do corpo visualizadas normalmente no contato presencial. Com um levantamento teórico consistente, composto por autores ímpares nos estudos aqui apontados, como Zumthor (2007 e 2010), Santaella (2003), Geertz (1989) e Thompson (1995), o trabalho ainda se encontra em fase inicial e, portanto não tem como foco apresentar novos conceitos, mas de reaplicá-los sob os novos acontecimentos culturais que envolvem o homem e a fala dentro de uma comunidade, mas que na contemporaneidade, se re-configura com uma maior utilização da escrita, em um espaço isolado existente no ambiente virtual, no que se refere a propagação de textos poéticos.

Palavras-chave


comunidades virtuais; oralidade; performance; recepção

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.43392

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul