PECULIARES E RESISTENTES: RELATOS ORAIS E CANÇÃO DAS TRIBOS CARNAVALESCAS DE PORTO ALEGRE

Jackson Raymundo, Comissão Editorial Nau Literária

Resumo


O índio tematizado por negros (e brancos da periferia) numa manifestação artística que é símbolo de “brasilidade”: estas são as tribos carnavalescas, motivo deste artigo. Com trajetória semelhante às escolas de samba, as tribos são uma peculiaridade do carnaval de Porto Alegre. Surgiram entre os anos 1940 e 1950, num contexto de afirmação do negro dentro da “identidade nacional” e de sua busca pela aceitação social. A pesquisa registrou relatos orais de componentes das tribos e recorreu a documentos e publicações que abordam a temática indígena na cultura brasileira, assim como o negro e o carnaval na capital gaúcha. Por fim, a apresentação fala sobre o hino, a canção própria das tribos carnavalescas de Porto Alegre.

Palavras-chave


Tribos carnavalescas; Canção popular brasileira; Carnaval; Indianismo; Perspectivismo ameríndio

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.43359

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul