VOZES POÉTICAS FEMININAS RESISTÊNCIA, SABERES E MANUTENÇÃO IDENTITÁRIA NO QUILOMBO DE HELVÉCIA.

Gean Paulo Gonçalves Santana, Comissão Editorial Nau Literária

Resumo


Este texto guia-se pelo objetivo de apresentar o contexto histórico do quilombo de Helvécia, sul da Bahia, lugar e referência às ações e aos cantos das mulheres negras, bem como, uma análise das diferentes vozes que, provocadas por momentos e movimentos históricos, sociopolíticos, culturais e religiosos, atuam na composição poética de um imaginário afrodescendente. As mulheres negras atentas ao presente e, em diálogo com o passado, explicitam, através de suas vozes poéticas, experiências ancestrais presentes na memória em prol do reconhecimento identitário quilombola, fato que aponta uma projeção do espaço e a si mesmas, de modo que ambos saem da invisibilidade ao reconhecimento. As teorias do campo dos estudos das narrativas, das poéticas orais e as que dizem respeito às representações identitárias formam o instrumental dessa análise.

Palavras-chave


poética oral; vozes femininas; identidade quilombola.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.43356

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul