A recepção de O Crime do Padre Amaro no Brasil do século XIX

Diógenes Caliari Armani

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar a recepção da obra O Crime do Padre Amaro, de Eça de Queirós, no Brasil do século XIX. Para tal fim, o trabalho fundamenta-se nos princípios da corrente literária conhecida como Estética da Recepção, desenvolvida por Hans Robert Jauss na década de 1960. De acordo com a Estética da Recepção, uma mesma obra literária pode receber distintas valorações ao longo do tempo. Fatores históricos, sociais, geográficos, individuais estão diretamente relacionados à recepção de um autor e sua obra. Portanto, um romance, classificado como canônico em um determinado contexto, é passível de não receber a mesma canonização em contextos distintos.

Palavras-chave


Literatura; Estética da Recepção; O crime do padre Amaro; Brasil do século XIX.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.31897

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul