A representação da cidade no romance Eles eram muitos cavalos

Elenilto Saldanha Damasceno

Resumo


O artigo trata sobre a representação da cidade no romance contemporâneo Eles eram muitos cavalos, do escritor mineiro Luiz Ruffato. Analisa as representações dos sujeitos humanos da modernidade no espaço-mundo da megalópole São Paulo, durante o transcorrer de um único dia. O imaginário do espaço urbano apresentado no romance retrata a dissolução dos sujeitos, deslocados e exilados na massificação promovida pela civilização urbana capitalista moderna. Através do universo diegético apresentado, o cotidiano, as personagens e a cidade de São Paulo tornam-se espelhos das almas de homens e da alma do mundo moderno, um mundo desencantado e sem sentido.

Palavras-chave


Modernidade; literatura; romance; cidade; Luiz Ruffato

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.26777

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul