De Coração em África: a negritude poética de Francisco José Tenreiro

Murilo da Costa Ferreira

Resumo


Resumo: O presente artigo concentra-se nos poemas de Francisco José Tenreiro, vendo-os como fato estético, cultural e ideológico e neles destacando a rubrica da negritude no conjunto de sua obra. Na economia dos meios literários, a poética de Tenreiro revela sua qualidade atual, problematizando os conceitos de negritude que atuam na própria noção de literatura e de história do negro em África e na diáspora, ao estabelecer uma nova visualidade literária para ele.

Palavras-chave


negritude; poesia; diáspora; transtextualidade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.20591

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul