Ynari, à luz do mínimos

Andrea Cristina Muraro

Resumo


‘Espremer um sonho’ este é o segredo em formato de prefácio sussurrado pelo angolano Ondjaki ao anunciar a obra Ynari – a menina das cinco tranças, cujo título e subtítulo nos remetem para toda uma cosmogonia envolta pelo nome da protagonista, o número ‘cinco’ e a palavra ‘trança’. Temas como a guerra, a paz, a memória perpassam o texto, simbolizados por uma menina, por um homem pequeno e pelos mais-velhos. O gênero escolhido pelo autor coloca lado a lado o modelo eurocêntrico do ‘era uma vez’ e ‘ como dizem os mais-velhos, foi assim que aconteceu...’ como forma tradicional do missosso; revelando-nos a união de planos que se processam no esteio da acumulação: uma estória contada nas línguas do mundo.

Palavras-chave


Angola; Missosso; Conto; Memória; Guerra

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.13410

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul