Um moço muito branco: estrangeiro

Ramiro Giroldo

Resumo


O texto toma como objeto o conto “Um moço muito branco”, de João Guimarães Rosa, e tem como objetivo a leitura do personagem do título como uma peculiar figura da alteridade. Embasa-se em noções formuladas por Sigmund Freud em “O estranho”. A leitura do unheimlich promovida por Neuza Santos Souza no texto “O estrangeiro, nossa condição” também é levada em conta.

Palavras-chave


João Guimarães Rosa; unheimlich; alteridade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.13404

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul