A raiz baudelariana na poesia de Bandeira

Barbara Jucele Rosa

Resumo


Resumo: O presente artigo concentra-se em compreender a forma como acontece a articulação do cotidiano e do sublime na poética de Manuel Bandeira, a partir da influência do poeta Charles Baudelaire. Embora o eixo principal que une os dois poetas seja a poesia moderna, a forma como essa está representada na poética de cada um revela direções opostas: Bandeira tende a uma poesia de tom conciliador e Baudelaire a uma poesia de tom explosivo. Nesta análise, pretende-se jogar com os aspectos convergentes e divergentes presentes na poética dos dois. O estudo vai além da corrente moderna, contempla questões como poesia emancipadora, doença e morte e contexto histórico-social, tópicos essenciais para entender como Bandeira, leitor de Baudelaire, filtrou os aspectos da corrente moderna e deixou de lado o tom explosivo.
Por último apresenta-se a análise de alguns poemas.

Palavras-chave


Baudelaire; Bandeira;cotidiano; poesia moderna

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.13397

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul