O cotidiano do homem do século XX e a transformação do diálogo dramático em reflexões monológicas

Milca Tscherne

Resumo


Este artigo apresenta a mudança formal do diálogo dramático a partir das mudanças das relações intersubjetivas operadas no cotidiano, sobretudo, do século XX. Para exemplificá-la, a peça Alguém terá de morrer, do dramaturgo português Luiz Francisco Rebello, que ilustra nos diálogos a falência das relações familiares e na ação o isolamento do eu na solução do suicídio.

Palavras-chave


dramaturgia portuguesa; drama moderno; diálogo dramático.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.13393

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul