A Guerra do Contestado: desfazendo as amarras do esquecimento

Maria Cristina Ferreira dos Santos

Resumo


Após a pesquisa de alguns monumentos e documentos que fazem parte da Memória Cultural da Guerra do Contestado das cidades de Canoinhas e Três Barras, na região Norte do estado de Santa Catarina, o objetivo, neste artigo, é discutir acerca dos motivos que contribuíram para a eclosão da guerra e, principalmente, descrever os possíveis motivos que levam esse acontecimento brutal a ser ocultado e esquecido. Para isso, relacionar-se-ão os relatos históricos e literários sobre a Guerra do Contestado, a saber, o romance de Walmor Santos e a obra de Maurício Vinhas de Queiroz aos conceitos de Jan Assmann, Paul Ricoeur e Sigmund Freud.

Palavras-chave


Guerra do Contestado; memória; esquecimento; trauma.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.13268

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul