Romance, memória e insônia na noite antuniana: uma leitura de Ontem não te vi em Babilônia

Maristela Kirst de Lima Girola

Resumo


Este ensaio procura mostrar de que forma o autor incorpora esteticamente temas sociais e políticos em seu texto romanesco, como a repressão e a violência na época da ditadura salazarista, em Portugal. Analisa-se os recursos narrativos empregados por Lobo Antunes para a composição do romance, ressaltando algumas características estéticas que marcam a sua produção como a desestruturação da narrativa tradicional, a variedade de vozes narradoras e a fragmentação do discurso da memória, que exigem a atenção do leitor.

Palavras-chave


Literatura Portuguesa; Memória; Romance; Personagem; Polifonia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.11131

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul