O nacional e o global em Antonio Candido: uma leitura de "Formação da literatura brasileira" e "Literatura e subdesenvolvimento"

Marcelo Lotufo

Resumo


Este ensaio avalia como Antonio Candido pensa, em dois momentos distintos de sua obra, a saber, em Formação da Literatura Brasileira (1959) e "Literatura e Subdesenvolvimento" (1969), a inserção da literatura brasileira dentro de um sistema internacional de trocas literárias. Aberto para os debates sobre economia e política, Candido reformula em "Literatura e Subdesenvolvimento" o modelo de Formação para incorporar os debates sobre desenvolvimento e dependência feitos a partir dos anos 1960, buscando maior autonomia para a literatura nacional dentro de um sistema internacional de trocas literárias, sem deixar de ser crítico ao atraso socioeconômico do Brasil. Espera-se com isso também analisar como o lugar de enunciação do modelo de Candido, quando comparado ao de Pascale Casanova, uma das maiores referências para os estudos em Literatura Mundo, demonstra uma maior preocupação com a autonomia da literatura Latino-Americana.

Palavras-chave


Antonio Candido; literatura mundo; teoria da dependência; "Formação da literatura brasileira"; "Literatura e subdesenvolvimento"

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.102605

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul