INCLUSÃO E EDUCAÇÃO FÍSICA NO MUNICÍPIO DE RIO GRANDE: REFLEXÕES SOBRE AS PERCEPÇÕES DOS EDUCANDOS COM DEFICIÊNCIA

Alice Sonaglio de Vasconcellos, Leila Cristiane Finoquetto, Débora Duarte Freitas, Roseli Belmonte Machado

Resumo


Este artigo tem por objetivo identificar e refletir sobre as percepções dos educandos com deficiência a respeito do seu processo de inclusão nas aulas de Educação Física na rede municipal da cidade do Rio Grande/RS. Participaram do estudo três alunos dos anos finais, que têm o acompanhamento de um monitor. Realizamos três observações, registradas em diário de campo e uma entrevista semiestruturada para cada um dos entrevistados. Para análise de dados foram criadas três categorias: mecanismos de in/exclusão, processos de vigilância e a normalização do anormal. Como ferramentas teórico-metodológicas utilizamos os Estudos Foucaultianos, principalmente os conceitos que versam sobre norma, normação e normalização. Como apontamentos desta pesquisa podemos refletir sobre o modo como os processos de inclusão se instalam como um imperativo, provocando professores e monitores a trabalharem como normatizadores e normalizadores de alunos com deficiência, os quais percebem o processo como positivo.

 


Palavras-chave


Inclusão educacional. Pessoas com deficiência. Educação Física. Pesquisa qualitativa.

Texto completo:

PDF-POR


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.57126

Direitos autorais 2016 Movimento (ESEF/UFRGS)



Movimento

Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                            

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment