AUTOEFICÁCIA DISCENTE NA FORMAÇÃO INICIAL DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

William das Neves Salles, Juarez Vieira do Nascimento, Júlio César Schmitt Rocha, Edison Roberto de Souza

Resumo


Analisaram-se as inter-relações da autoeficácia (AE) discente com aspectos da formação inicial de 385 estudantes universitários de Educação Física. Foram aplicadas a Escala de Autoeficácia na Formação Superior e a Escala de Motivação Acadêmica aos estudantes, e os resultados revelaram diferenças significativas na AE discente, considerando-se as variáveis sexo, curso realizado, participação em atividades de pesquisa e extensão, Índice de Aproveitamento Acadêmico e Índice de Autodeterminação. As evidências ressaltam a importância da investigação aprofundada da AE no Ensino Superior, que pode contribuir para o desenvolvimento acadêmico-profissional do estudante e para a melhoria da qualidade dos cursos de graduação ofertados.


Palavras-chave


Eficácia. Estudantes. Universidades. Competência profissional.

Texto completo:

PDF-POR PDF-ENG (English)


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.54185

Direitos autorais




Movimento

Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                            

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment