MULHERES NO JORNALISMO ESPORTIVO: UMA “VISÃO ALÉM DO ALCANCE”?

Adriana Brum, André Mendes Capraro

Resumo


Apesar de serem maioria nas redações jornalísticas brasileiras, as mulheres ainda são, aparentemente, minoria nas editorias de esportes dos meios de comunicação. Também são minoria as reportagens sobre esportes e atletas femininos. O presente artigo visa melhor compreender, por meio de entrevistas, utilizando a metodologia da História Oral, com dez jornalistas da área esportiva em Curitiba (Paraná, Brasil), o ponto de embate social entre três campos distintos e interrelacionados: esporte, gênero e mídia, focando as dificuldades elas que encontram em seus trabalhos e também quais processos utilizam para selecionar as informações com força para se tornarem notícias, seguindo pressupostos dos estudos de comunicação voltados ao emissor (Newsmaking). Em seus relatos, verificou-se que reproduzem o modelo de produção jornalístico sob a dominância masculina e capitalista no esporte e que também estão sujeitas a pressões, tais como ações de preconceito.


Palavras-chave


Jornalismo. Esportes. Identidade de gênero. Meios de comunicação.

Texto completo:

PDF-POR PDF-ENG (English)


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.52730



 

 


Movimento
Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                                      

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment