Esporte e política na ditadura militar brasileira: a criação de um pertencimento nacional esportivo

Marcus Taborda de Oliveira

Resumo


No trabalho percorro indícios da relação entre esporte e política durante o período da ditadura que assolou o Brasil nas décadas finais do sec. XX. Distancio-me de explicações conspiratórias, e problematizo o fato de o fenômeno esportivo, marca da universalização da cultura, ter servido ao propósito político da ditadura, sem que tenha sido ela o seu propulsor. Antes, argumento que a ditadura soube ler o contexto mundial para apropriar e difundir uma pratica de grande apelo de massas e consumo, que remeteu a novas formas de subjetivação, afetando, assim, os interesses e as necessidades de grandes parcelas da população brasileira. Tomo como fontes, alem de documentos próprios do universo esportivo, rastros do debate sobre o nacional e o popular, marca do que foram as tentativas de afirmação da nação.


Palavras-chave


esporte e ditadura militar; esporte e política; história do esporte; nacional e popular; cultura de massas.

Texto completo:

PDF-BR


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.32108



 

 


Movimento
Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                                      

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment