Da ortopedia à eficiência dos corpos: a gymnastica e as exigências da “vida moderna” (Minas Gerais, 1906-1930)

Tarcísio Mauro Vago

Resumo


O artigo trata da inserção da ginástica (Educação Física) nos programas de ensino primário em Minas Gerais, nas três primeiras décadas do século XX, discutindo representações que conformaram seu ensino. Neste período, teria ocorrido uma reconfiguração no seu primado orientador: se inicialmente a ginástica foi orientada como prática ortopédica de correção dos corpos de crianças, a década de 1920 parece trazer novas exigências para ela, articuladas às necessidades de organização do trabalho. É então que o primado da eficiência impõem-se como orientador de seu ensino. Da ortopedia à eficiência, a Educação Física refinava sua sintonia com a “vida moderna”.

Palavras-chave


Ginástica. Educação Física. Escola. Corpo. História da Educação Física

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.2850

Direitos autorais




Movimento

Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                            

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment