Abordagem da enação no campo da Deficiência Visual

Virgínia Kastrup, Filipe Herkenhoff Carijó, Maria Clara de Almeida

Resumo


É freqüente encontrar nos textos sobre deficiência visual a afirmação de que os cegos enfrentam grandes dificuldades, pois 80% das informações acerca do mundo externo nos chegam através da visão. A partir desta afirmação, supostamente fundada em estudos científicos de última geração, os cegos conheceriam em torno de 20% do mundo real. Este trabalho procura fazer a análise crítica dessas colocações, apontando que elas estão longe do consenso e da evidência científica. Ao contrário, caracterizam uma certa abordagem da cognição - a abordagem cognitivista - que é pautada na teoria da informação e, em última análise, no modelo da representação, que vem sofrendo fortes questionamentos nas últimas décadas. Lançaremos mão das críticas de Varela ao cognitivismo computacional, que trazem à cena tanto a auto-produção do sistema cognitivo, quanto o co-engendramento do sistema e do domínio cognitivo da percepção e da ação. Discutiremos a contribuição da abordagem da enação a partir de estudos sobre sistemas de substituição sensorial e procuraremos examinar o problema da ausência da visão no contexto do que Belarmino (2004) chamou de paradigma visuocêntrico.

Palavras-chave


enação; Varela; deficiência visual; tecnologias de substituição sensorial

Texto completo:

PDF () PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-1654.9605

Direitos autorais



INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática. e-ISSN: 1982-1654 ISSN Impresso:1516-084X