Refletindo sobre processos educativos em ambientes virtuais à Luz da Biologia do Conhecer

Eliana Maria Sacramento Soares, Jane Rech

Resumo


Apresentamos, em linhas gerais, a perspectiva teórica da Biologia do Conhecer, uma concepção de ambientes virtuais de aprendizagem e uma discussão a respeito da contribuição dessa teoria para entender os processos educativos que podem surgir nesses ambientes. Para tanto, são apresentados e discutidos conceitos desta abordagem, os quais fornecem sustentação teórica para concebermos ambientes virtuais como sistemas autopoiéticos e, portanto, vivos. Assim, são considerados os conceitos de cognição, de emoção e de linguagem, destacando que educar, pela perspectiva desse arcabouço teórico, é criar, realizar e validar na convivência um modo particular de conviver. Na perspectiva das considerações apresentadas, conceber processos educativos mediados por ambientes virtuais de aprendizagem requer a configuração de espaços de convivência de modo que os atores do processo possam fluir juntos no conviver, numa história de interações recorrentes.

Palavras-chave


Biologia do Conhecer; processos educativos; ambientes virtuais de aprendizagem

Texto completo:

PDF () PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-1654.9347

Direitos autorais



INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática. e-ISSN: 1982-1654 ISSN Impresso:1516-084X