Simondon e a individuação técnica

Sávio Ramos Laterce

Resumo


RESUMO
Tentaremos aqui expor o que Simondon entende por invenção técnico e, inicialmente, verificar como ele se distingue de criações. Em seguida, trataremos da associação entre invenção e liberdade e como a visão simondoniana do conceito de diferença teria duas heranças: a noção de relação proveniente de Hume e as ideias de vida e tempo definidas por Bergson. Na parte seguinte do texto, partiremos do princípio de que a busca de autonomia das máquinas (à informação, como diz Simondon) é o que segue de mais perto, no campo técnico, a autonomia que a própria vida conquistou nos seres vivos. Por isso, os inventores tem a missão de captar a essência técnica dos objetos e fazer com que eles sejam tão autônomos quanto possível. No último momento do artigo, traremos do embate entre invenções e as imposições sociais e da propaganda que tentam comandar a constituição de novos objetos técnicos.

ABSTRACT
Our intention here is to expose what Simondon understands by technical invention and, in the beginning, how they are distinguished from creations. In the second moment, we will try to show the relation between invention and human freedom and how simondonian’s concept of difference would have two inheritances: the Hume’s notion of relation and the ideas of time and life in Bergson’s philosophy. In the next part, we will take as principle that the search of autonomy in machines (by information, as says Simondon) follows closely the autonomy that life has conquered in living beings. A cause of this, the inventors has the mission to absorb the technical essence of objects e make them as autonomous as possible. In the last moment of the article, we will approach the tense relation among inventions and social and advertising impositions that try to command the constitution of new technical objects.

Palavras-chave


Simondon; invenção técnica; relação

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-1654.22041

Direitos autorais